Fonte: dreamstime

5 alimentos para vencer a Síndrome do Ovário Policístico

Share this:

Existem formas de se controlar e até eliminar os sintomas da SOP sem depender de anticoncepcionais e outros medicamentos

Quando eu tinha quase 16 anos, fui diagnosticada com Síndrome dos Ovários Polimicrocísticos. Estava tudo lá: a menstruação desregulada, a acne fora de controle, o ultrassom mostrando os ovários de volume aumentado. Depois desse nome grande para um problema que eu não tinha a menor ideia do que significava, logo veio um nome pequeno que foi indicado como a solução de todos os meus problemas: a pílula.

Ela iria me livrar da acne, regular minha menstruação e, também poderia evitar uma gravidez indesejada (sendo que relações sexuais não fariam parte do meu repertório ainda por alguns anos).

Mas só foi um 30 anos que me explicaram qual era o tamanho do problema que eu me deparava, tão grande e complicado quanto o nome da doença:

  •   eu tinha um risco muito maior de desenvolver diabetes e problemas cardíacos
  •   eu teria que tomar anticoncepcional oral até atingir a idade de menopausa para controlar seus sintomas
  •   eventualmente eu teria que tomar metformina para evitar ou controlar os níveis de glicose no sangue
  •   a pílula aumentava o risco de eu ter trombose, AVC e outros efeitos colaterais bem grave
  •   caso eu quisesse ter filhos, eu teria mais dificuldade por causa a ovulação desregulada, e voltaria a ter todos os sintomas incômodos que sentia antes de tomar a pílula.

birth-control-pills

Isso só do ponto de vista médico! Imagine que eu tomava o anticoncepcional achando que estava sendo tratada e com a situação controlada, e me dei conta que SOP não tem cura, e que logo depois soube que ele estava provocando enxaquecas fortíssimas semanais.

Imagine a desesperança e desespero que se abateu sobre mim diante de tudo isso. Já ouvi essa história se repetir tantas vezes com tantas mulheres que às vezes acho que existe uma epidemia silenciosa de SOP acontecendo no mundo e que ninguém pode nos ajudar, que não existe solução e que devemos nos conformar e continuar engolindo nossas pílulas.

Foi quando ouvi uma mensagem de esperança. Um mulher contou sua história de como ela CUROU sua SOP gravíssima usando COMIDA! Era bom demais para ser verdade.

Não é somente bom como é verdade. E é tão óbvio, que nos esquecemos:

o os alimentos que constituem nossas células e hormônios. Se fornecemos os ingredientes certos, nossos órgãos e sistemas funcionam como foram desenhados para funcionar. Se fornecemos comidas pobres em nutrientes essenciais, criamos os sintomas e as doenças.

Esse é o caso da SOP. Nossa forma de se alimentar pode criar essa condição e suas consequências, ou curar e evitar complicações futuras. Para começar sua caminhada para uma vida sem sofrer com os sintomas da SOP, você pode começar fazendo algumas adições no seu prato:

  • Salsinha: além de ser um multi-vitamínico e mineral natural, a salsa ajuda seu fígado a filtrar o excesso de toxinas e hormônios  do sangue (naturais, do anticoncepcional, e dos produtos animais que consome), o que estimula o equilíbrio da produção de hormônios pelos seus ovários, sem sobrecarregar a tiróide.
  • Batata-doce: esse vegetal ajuda a terminar a faxina que o fígado, carregando para fora do corpo o que ele filtrou, além de ajudar a regular os níveis de glicose e insulina do sangue, o que influencia diretamente no equilíbrio de hormônios como a testosterona, que causa sintomas como acne, excesso de pelos, queda de cabelo, etc
  • Abacate: essa fruta fornece as gorduras e nutrientes necessários para a fabricação natural de progesterona, um hormônio feminino que usualmente as mulheres com SOP tem em níveis mais baixos que o necessário, o que provoca ciclos sem ovulação, menstruação irregular, e infertilidade. Ela também age diretamente na saúde o útero e do endométrio.
  • Ovos: enquanto a clara fornece proteínas e energia estável para o organismo, as gemas dos ovos de galinhas orgânicas criadas soltas são ricas em nutrientes que auxiliam na ovulação e no equilíbrio hormonal. Além disso, o ovo é parte do sistema reprodutivo do animal, ou seja, quando vem de uma galinha saudável, ele terá o perfil nutricional que vai nutri nossos órgãos reprodutivos.
  • Aveia: use a opção menos processada que encontrar (grão inteiro ou laminada) para preservar mais nutrientes e fibras. Elas oferecem a energia rápida dos carboidratos sem sobrecarregar o pâncreas por ter uma boa dose de proteína, o que estabiliza os hormônios. Ela também é um conhecido alimento promotor da saúde cardíaca e circulatória.

Saiba mais sobre a relação dos alimentos nas funções dos órgãos do corpo neste artigo.

Quer receitas usando esses ingredientes? Clique no ingrediente respectivo na lista acima!

Publicado em: Fertilidade Inteligente

Outro Post

Receba novidades sobre meus conteúdos, cursos e serviços