Receitas

5 alimentos “saudáveis” não recomendados para mulheres

Share this:

Desmistificando ingredientes que não trazem benefícios para as mulheres em idade fértil

Sei que normalmente meu foco aqui é a Dieta do Coma Mais, ou seja, em falar mais dos alimentos que trazem mais benefícios para nosso organismo como um todo e para a harmonia do nosso peso, hormônios e humor.

Porém existem muitos ingredientes promovidos como “comida saudável” que podem causar muitos problemas para as mulheres que menstruam naturalmente, ou que usam anticoncepcional hormonal, e sofrem com sintomas da TPM e da menstruação, bem como de condições como excesso de peso, ovário policístico, mioma, endometriose, infertilidade ou dificuldade para engravidar, dentre outros.

Por isso, vou listar aqui cinco dos ingredientes mais consumidos pelas pessoas que querem ficar mais saudável ou perder peso que podem contribuir para piorar esses sintomas e doenças.

  1. Soja: eu já falei neste artigo aqui sobre vários poréns desse alimento. A questão do seu consumo para as mulheres em idade fértil, é que ele promove a alta produção de estrogênio, que já é incentivada por diversos outros fatores ambientais e alimentares, e no uso de anticoncepcional hormonal. E que justamente causam os principais sintomas de TPM, como alterações de humor, acne, aumento de peso e inchaço, cólicas fortes, bem como é uma das principais causas das condições femininas que listei acima. Por isso, somente recomendo o consumo de soja para quem não sofre desses sintomas e doenças, e/ou nos 5 a 10 dias após a menstruação. Sempre orgânico e fermentado, para garantir mais benefícios.
  2. Leite, iogurte e derivados: até os orgânicos entram nessa mira. A questão aqui são os hormônios desses animais, altamente presentes no leite, sejam naturais ou artificiais. Para quem sofre com o ciclo menstrual ou usa anticoncepcional hormonal, os laticínios podem piorar muitos os sintomas acima, incluindo aí acne e enxaqueca, e até alergias respiratórias e osteoporose (inclusive o Departamento de Medicina de Harvard, a famosa universidade americana, retirou os laticínios de suas recomendações alimentares). Por isso, sempre recomendo diminuir a ingestão de leite, iogurtes, queijos, e qualquer comida que inclua algum derivado. Lembrando que leite de soja não é um bom substituto pelas razões descritas acima. Aqui você pode conferir algumas opções mais benéficas para a mulherada.
  3. Linhaça: mas essa sementinha não é boa pra um monte de coisas? Sim, ela pode ser bem benéfica para diversas condições de saúde, porém, como a soja, ela promove a produção de estrogênio, e dessa forma, a piora de sintomas relacionados ao excesso desse hormônio no organismo feminino (e masculino). Por isso, prefira consumir nos 5 a 10 dias após a menstrução apenas. Aqui falo mais sobre um ingrediente mais interessante para a mulherada em idade fértil.
  4. Salmão: a propaganda diz que ele é cheio de Ômega-3, um elixir das deusas para quem sofre de TPM e de problemas com o peso e o humor. Mas o peixe que chega ao Brasil está longe de conter esse ingrediente mágico. O salmão importado no país é criado em cativeiro, e alimentado com soja e milho transgênico, e está cheio de antibiótico e hormônios (que nem o franguinho de granja). Então, além de não ter a substância benéfica (que só está presente no salmão quando se alimenta dos bichinhos que fornecem essa gordura boa e sua linda cor rosada natural), ele está cheio de substâncias que desequilibram nossos hormônios femininos, inclusive corantes artificiais. Um peixinho mais saudável e rico em Ômega-3 e super baratinho é a sardinha.
  5. Comidas diet e light: esse é um assunto que não canso de falar aqui, e que você pode ler mais sobre isso aqui. Mas como eu ainda vejo muita gente consumindo produtos com adoçantes artificiais e com baixa gordura, insisto no quanto essas comidas impactam negativamente no gerenciamento do peso e dos hormônios, e também no sistema imunológico. Diversas pesquisas mostram os malefícios das restrições de calorias e nutrientes como a gordura, bem como das substâncias artificiais, que podem causar doenças derivadas do processo inflamatório geral do organismo e dos altos níveis de estresse e cortisol ao longo do tempo. Por isso, invista sempre em comida de verdade, não ou minimamente processada, que o nosso corpo reconhece como nutrição, e por isso, estabiliza nosso peso, nosso ciclo menstrual, e previnem doenças. 

 

Outro Post

Aqui temos 4 comentários. Adicionar.

  1. Tâmara Tambellini

    Olá Melissa!
    Muito bom o post, só gostaria de fazer uma ressalva.
    Harvard não retirou os laticínios de suas recomendações, e sim diminuiu para duas porções ao dia. Apesar dos pesares, leite e derivados ainda são fontes importantes de cálcio, proteína e outros nutrientes para a população em geral, por isso devemos tomar cuidado ao escrever na internet, pois não estamos vendo cada indivíduo, e sim fornecendo uma informação generalista – o que deve contemplar recomendações para a população em geral (derivadas de estudos epidemiológicos – e estes ainda não mostraram que seria melhor retirarmos totalmente o leite de nossa alimentação).
    Bjs :*

    • Melissa Setubal

      Gratidão por registrar sua opinião aqui, Tâmara. Entendo seu ponto de vista. Porém, a informação passada neste post tem relação com os estudos feitos em Harvard pelo Dr Walter Willet e sua equipe, onde afirma que os humanos não tem nenhuma necessidade de consumir laticínios, nem mesmo como fonte de minerais para os ossos, inclusive falando de estudos que falam dos malefícios que podem causar (principalmente no caso dos laticínios industrializados). Além disso, no caso do artigo que tem o foco sobre sintomas de TPM entre outros enfrentados pelas mulheres em idade fértil, trago o fato de que os hormônios presentes nesse alimento interferem negativamente nas pessoas que sofrem com essas condições.
      Todo meu trabalho é baseado na bioindividualidade da pessoa, mas existem sim alguns pontos que precisamos generalizar para que as pessoas possam começar a refletir sobre sua alimentação. E como esses são alimentos consumidos com muita frequência e em muita quantidade, a intenção do artigo foi justamente trazer essa reflexão.
      Aqui dois textos de profissionais médicos especializados em alimentação que falam sobre o assunto, caso tenha interesse:
      http://news.nationalpost.com/2014/01/23/drinking-milk-not-essential-for-humans-despite-belief-it-prevents-osteoporosis-nutritionist-says/
      http://drhyman.com/blog/2010/09/17/how-to-eliminate-pms-in-5-simple-steps/
      Independente disso tudo, como bem sabemos, informações sobre nutrição diametralmente opostas podem ser provadas corretas por pesquisas científicas, justamente por conta de nossa bioindividualidade. Dessa forma, como disse no início, sempre será bem-vinda à pagina para expressar sua opinião 🙂
      Saúde e Amor,
      Melissa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba novidades sobre meus conteúdos, cursos e serviços