Desejos Constantes

Share this:

James Governale

Você tem algum desejo realmente grande por alguma coisa?
O que é essa coisa? Em termos de comida, você está consciente de que certos itens realmente te tentam? Aqueles que desfazem sua ‘armadura’ de força de vontade. Aqueles que parecem chamar o seu nome, do armário ou da geladeira, e te fazem comê-lo, mesmo quando você sabe que você não está com fome. Você já parou para pensar e questionar por que essas comidas tem este efeito em você? Eu convido vocês todos a tentarem isto. Mas, primeiro, vamos ver quem são os culpados. Deixa eu adivinhar o que são. Sorvete, chocolate, fast food, sanduíche, batata frita, queijo.Batata Frita
Note que eu não mencionei brócolis, feijão, aveia ou maçã. Curioso, não? Essas são comidas que eu como frenquentemente, e realmente gosto. Mas, por que será que eles não fazem parte da minha lista de coisas que eu desejo? Eu arriscaria adivinhar que eles também não fazem parte da sua lista. E qual o por quê disso? Sim, nós desejamos coisas diferentes em períodos de tempo diferentes, mas por que certas comidas são mais atrativas? Será que elas satisfazem mais? Será que elas, simplesmente, tem um gosto melhor? Ou elas se conectam conosco em algum nível além da alimentação? As respostas para estas perguntas podem ser surpreendentes.
Tem um livro chamado “Breaking the Food Seduction”, por Neal Barnard, que aborda exatamente essas questões. O livro se tornou a referência primária para mim ao cruzar teorias que eu considero muito válidas em relação a vícios e comportamento. O livro é claro em apontar, logo no começo, que, quando se fala sobre alguns hábitos alimentares, há simplesmente uma base fisiológica para isso. Isso pode ser duro para algumas pessoas ‘engolirem’, especialmente aquelas que, como eu, tem formação em Psicologia e acredita na mudança de comportamento por reabilitação. Há algo por considerar em ambas as teorias. A meta aqui não é escolher entre ‘uma lente ou outra’ para olhar as coisas. Mas fazê-las trabalhar em complementariedade.
Então, se você acredita que isso é gulodice, ou fraqueza, ou é seu tipo de personalidade que faz você se afundar nos seus desejos – talvez você possa querer reconsiderar isso.
ChocolateVocê sabia que comer certas comidas, como chocolate ou queijo, criam efeitos como o de opiácios no seu cérebro? Estes alimentos estimulam a liberação de substâncias relacionadas ao centro de prazer do cérebro e é isto que te faz voltar a querer mais e mais. É preciso mudanças físicas para quebrar esses hábitos, como ajustar sua alimentação como um todo e aumentar a prática de exercícios físicos. Estes podem liberar as mesmas substâncias relacionadas ao centro de prazer do cérebro. E junto com adicionar novas comidas na sua alimentação, a glicose do seu sangue vai ficar regulada e os hormônios de controle do seu apetite vão começar a trabalhar para você. Eventualmente, você pode ser tornar mais resistente aos seu desejos, e menos propenso a fazer “lanchinhos” ou beliscar. É aí onde nosso comportamento se encontra com nossa constituição física.
Entretanto eu não estou dizendo que você deveria deixar pra lá sua força de vontade quando falamos de mudar seus hábitos alimentares. Mas eu estou dizendo que é para você parar de culpar a si mesmo por seus desejos. Pode ser melhor para você entender os efeitos psicológicos que algumas comidas tem em você, e quais as alterações físicas você pode fazer no seu estilo de vida. Perceber a interação entre esses fatores pode dar para você algumas idéias de qual é a natureza de seus desejos por comida. Entendendo as forças por trás deles, e concluindo que talvez não haja uma coisa para se culpar. Especialmente não você.com

Outro Post

Aqui temos 0 comentários. Adicionar.

  1. Nossa, Mel, é assim mesmo! Sinto claramente o aumento desses desejos numa semana que não pratico exercícios!

    Mas por sorte meus ataques à doces estão restritos à TPM. No resto do mês meus maiores desejos se chamam Sushi!!!

    Beijo!

    • Pois é, essa história desses desejos ‘proibidos’ é bem particular de cada um mesmo, pois eu tb normalmente não tem isso com doce, minha faraqueza é a batata frita :), mas volta e meia as lojinhas de doce aqui do lado de casa me chamam, com uma voz sedutora hehehehehe
      Bjs

  2. Cátia

    É Mel, meu sonho seria ter um “desejo louco” por verduras e legumes, por exemplo. Imagina eu pensando no meio da tarde: “hum, que vontade louca de comer uma cenourinha ou couve-flor!” – kkkkk – Não! O problema é com chocolate! Mas vou continuar seguindo as dicas do blog! Beijão. Cátia

    • Acho que esse texto do James vai muito ao encontro da sua questão com o açúcar, Catita. “Congestione” sua alimentação de vegetais, principalmente os alaranjados e doces, que aos poucos não vai mais ter espaço “sobrando” pro chocolate. Castanha-do-Pará também é uma dica para os chocólatras de plantão, já que esse desejo pode ser resultado de uma deficiência de magnésio, o que essa castanha tem de sobra. 3 por dia já é suficiente para suprir a necessidade diária desse mineral. Bjs e desejo que você acorde amanhã querendo a cenoura ou a couve-flor hehehehehe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba novidades sobre meus conteúdos, cursos e serviços