Na mídia

Menstruar ou não menstruar: como acabar com este drama existencial

Share this:

Mulheres, seus ciclos e intervenções

Lá vem de novo a campanha tirando sarro da mulherada que sofre com os sintomas da menstruação e TPM. Eu vejo outra vez e, de novo, fico revoltada.

Corta. Volta 12 anos atrás. Eu no início da minha vida adulta, começando a trabalhar, cheia de responsabilidades, e sofrendo horrores com a minha menstruação: Cólicas fortíssimas, enxaqueca de derrubar na cama, acne descontrolada, e um humor de cão chupando manga. Ou seja, 15 dias de inferno. Outros 15 dias ansiosas de que o inferno iria chegar outra vez.

A solução mágica veio numa pílula. Literalmente. A médica me recomendou tomar as cartelas de anticoncepcional sem dar o intervalo. Achei a ideia perfeita: nunca achei divertido sangrar por 7 dias todo mês, ainda mais com todos os sintomas envolvidos.

1978777_693362410754766_8943675776266380404_n

Eu também conquistei o direito de viver sem os sintomas da TPM, mas voltando a menstruar naturalmente e mudando minha mentalidade de que menstruar é chato. O uso do anticoncepcional contínuo é que tem muitos efeitos colaterais chatos e sérios.

Foram cerca de 10 anos fazendo isso. Jurando que esta era a melhor ideia. Mesmo que meu ovário policístico nunca fosse curado desta forma, a enxaqueca tendo piorado, correndo risco de trombose, osteoporose prematura, sangrando mesmo assim, e com uma TPM cada vez pior.

A falsa sensação de liberdade que a pílula me dava (inclusive sobre o risco de gravidez) começou a cair por terra quando finalmente eu me dei conta de que todos esses sintomas são manifestações de uma alimentação e estilo de vida equivocados, e de crenças limitantes e de rejeição à minha feminilidade, reforçada por anos. Todos os problemas do nosso sistema reprodutivo feminino tem relação em algum grau com o tipo de energia que fornecemos ao nosso corpo pelos alimentos, e com a negação em ser mulher.

Portanto, quanto à menstruar ou não menstruar, eis a verdadeira questão: ao invés de tapar o sol com a peneira e enganar o corpo com hormônios que desregulam tanto o corpo que podem causar AVC, enfarto, câncer e morte prematura, que tal seguir o fluxo da natureza sem sofrimento nem doenças adquiridas por uso de medicamentos?

Corta. Dias atuais. Eu agora na minha fase pré-menstrual, sem tensão, com enxaqueca e ovários curados, totalmente consciente dos meus dias férteis e com um sorriso no rosto.

Leia também: Existe vida sem Anticoncepcional

Publicado em: Yogaway

Outro Post

Aqui temos 1 comentário. Adicionar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba novidades sobre meus conteúdos, cursos e serviços