Meu caso de amor e ódio com o anticoncepcional

Share this:

A pílula pode nos apresentar muitas vantagens. Mas é preciso conhecer bem suas desvantagens também.

Aos 15, fui apresentada a ela como a solução dos problemas que eu tinha e dos que eu nem tinha ou teria. Aos 22, ela virou minha principal arma para combater inimigos que insistiam em invadir o território do meu corpo e fazer da minha vida um inferno. Aos 30, dei adeus a ela sem olhar para trás, pois de suposta aliada de guerra, vi que, na verdade, eu era sua prisioneira sem saber.

Meu relacionamento com a pílula anticoncepcional é um daqueles casos de amor a primeira vista, que me envolvi profundamente e encontrei alegria, e que achava que seria um conto de fadas com um “viveram felizes para sempre”. Só que não.

Pagando de inocente e boazinha, fui aprender depois quantos incômodos ela causava, e até perigos que eu corria por andar sempre em sua companhia.

Normalmente, quando a gente vai começar a usar anticoncepcionais hormonais, sejam orais, transdérmicos, subcutâneos, intravaginais, intratrauterinos (pílulas, adesivos, anéis, dispositivos…), somos informadas dos seus benefícios além do bom e velho evitar a gravidez indesejada. As recomendações vão desde ciclo irregular, acne, cólicas, até ovários policísticos, miomas e endometriose.

É comum também ouvirmos efeitos colaterais leves de seu uso como ganho de peso, inchaço, dores nos seios, estrias, varizes, manchas na pele, e até TPM.

Hoje, cada dia mais, está correndo nas mídias muitos dos efeitos colaterais bem graves como hipertensão, distúrbios de coagulação sanguínea, trombose, AVC e ataque cardíaco, incluindo em pessoas jovens.

Mas muito do que não se explica e não se fala são dos inúmeros efeitos secundários e sintomas que ela pode estar provocando ou potencializando, que causam muito incômodo e mal-estar. A maioria delas está descrita nas bulas, mas são muitas vezes ignoradas ou desconsideradas.

  • Aumento do apetite / Perda de nutrientes importantes, vitaminas e minerais
  • Diminuição na libido / dor durante relações sexuais / secura vaginal
  • Dificuldade para engravidar / infertilidade
  • Depressão e/ou ansiedade / sintomas crônicos de estresse
  • Dor de cabeça / Enxaqueca
  • Insônia / sono agitadoWoman-with-Depression
  • Enjoo, náusea, vômitos, diarreia
  • Corrimento vaginal / infestação por cândida
  • Sangramentos vaginais / escapes
  • Sangramento na gengiva / Gengivite / Periodontite
  • Alergias / urticárias
  • Intolerância a lentes de contato
  • Dificuldade em ganhar massa muscular
  • Aumenta risco de câncer
  • Impacta no funcionamento do fígado, rins, tiróide, suprarrenais, rins, imunidade e sangue.
  • Inúmeros medicamentos (até fitoterápicos) podem diminuir a sua eficácia

O uso do anticoncepcional pode até interferir negativamente nos seus relacionamentos amorosos, familiares e no trabalho!

Minha principal intenção aqui é dar a você poder de escolha. Com informação e conhecimento de diversas fontes, somos capazes de optar de forma mais consciente e estar mais atentas aos possíveis sintomas e riscos associados.

Quero também que você saiba que, não importa o porquê você começou ou continua ou pensa em começar a usar anticoncepcional hormonal, existem sim opções para evitar gravidez e sintomas do ciclo menstrual e dos hormônios sem precisar depender da pílula.

Por isso que eu decidi parar de usá-la há 5 anos atrás, e adoro compartilhar com as pessoas sobre as possibilidades de uma vida sem hormônios artificiais. Veja aqui mais sobre essa minha história.

Participe do meu [evento virtual gratuito] sobre mitos e verdades do ciclo menstrual e do anticoncepcional no dia 25/04, às 20h, com transmissão ao vivo pela internet, e compartilhe as suas dúvidas e a sua história. Quer se inscrever e ter mais informações? Inscreva seu email aqui para receber amanhã todos os detalhes.

Imagens: Fitsugar.com / Draxe.com

Outro Post

Receba novidades sobre meus conteúdos, cursos e serviços