Ciclo Menstrual

Minha visita à uma gineco feminista

Share this:

GENTE!!! ENCONTREI UM OÁSIS no meio do deserto de profissionais de saúde que cuidam de mulheres.

Depois de 3 anos sem pisar no consultório de uma ginecologista, uma amiga e cliente me recomendou um local em que ela buscou atendimento, e logo me falou: “acho que lá eles fazem um trabalho muito colado com o teu”.

Uma casa normal, sem cara de consultório, com coletores e absorventes ecológicos menstruais e diafragmas no armário logo na entrada, folhetos e cartões de profissionais holísticos, mulheres de todos os tipos transitando.

Fui atendida pela sorridente Renata (sim, sem Dra na frente) logo no portão. Ao sentar num sofá confortável na frente dela, em outro sofá, como duas amigas tomando chá da tarde, ela começa a explicar o conceito da clínica, que na verdade, é um Coletivo Feminista de Sexualidade e Saúde, com diversos serviços, incluindo o de médica da mulher.

Parece um nome e um conceito estranhos, a princípio, para a maioria de nós, eu sei. Uma amiga minha que também procurava alguém para atendê-la até achou esquisito demais isso, e decidiu por outra profissional. Não estamos acostumadas profissionais de saúde colaborando e fora do padrão alopático. O comum é cada um no seu consultório, no máximo, numa clínica, onde cada um fica no seu quadrado. Lá não, as coisas todas são administradas em conjunto, e a proposta de trabalho é conversada e decidida por todas.

Mas voltando à minha consulta, que por sinal foi pontualíssima e durou 1 hora, depois das perguntas de praxe, ela foi para a parte mais ginecológica da coisa. Logo me perguntou minha preferência sexual da forma mais normal do mundo. Perguntou se eu uso algum método anticoncepcional, eu disse que uso camisinha e percepção da fertilidade e ela, ao invés de entortar a cara e me empurrar a pílula como ouço de novo e de novo das clientes e leitoras como o procedimento mais feito nos atendimentos em ginecologista, ela só me perguntou se estou satisfeita com os que eu uso, eu disse que sim. E quando perguntei de curiosidade sobre DIU de cobre, ela ainda disse que é um dos procedimentos mais comuns que ela faz lá.

Quando foi falar sobre exames, logo disse que iria pedir alguns bem basiquinhos só pra ter histórico mesmo, pois como eu já contei como me cuido e com o que trabalho, ela sabe que não precisa ficar me furando o braço à toa se não apresento sintomas nem histórico de família. Só prescreveu sorologia de DST porque eu pedi. Ou seja, não assumiu nada, não tomou decisões por mim, não me forçou a ABSOLUTAMENTE NADA! O tempo inteiro me perguntava se eu estava me sentindo confortável com o que estávamos conversando e com os procedimentos, e me explicando tudo em detalhes.

Você sabe o que é isso? Muito prazer, colo do útero ao centro com paredes da vagina nas laterais. Essa gosminha branquinha aí é o fluído cervical. E não, essa foto não é minha hahahahaha

Logo chegou a hora normalmente mais temida por mim: o exame pélvico. Lembro de sempre me sentir em uma tortura chinesa com aquele espéculo maldito arregaçando minhas entranhas. Mas ali eu estava tranquila e, na verdade, empolgadésima com o que eu já sabia que iria acontecer.

Tirei a calcinha, arreganhei as pernas e ela veio me oferecendo o espéculo para eu mesma colocar. Me orientou como fazer, colocou o espelho e uma luz, e lá fui eu brincar de médica de mim mesma. Fiz, ela abriu, e voilá, minha linda vagina enrugadinha por dentro com um colo do útero espetacularmente aveludado com um pouco de fluído cervical branquinho. Fiquei absolutamente encantada. Foi uma das experiências mais incríveis da minha vida!

Uma coisa é eu me tocar com o dedos, sentir as texturas, a umidade, as contrações. Outra coisa é ver aquela belezura toda como nos livros que eu venho estudando há tantos anos, só que ao invés de ser de uma mulher desconhecida, ser a minha vagina, meu colo do útero, meu corpo ali sendo apresentado para mim primeira vez.

Fiquei pensando: quantas de nós nem os dedos coloca ali embaixo? Muito menos olha a própria vagina no espelho? E ainda acha estranho e/ou nojento olhar ou tocar seu próprio corpo?

Dias antes, eu estava com uma dupla de médicas, e eu contei que eu iria fazer esse exame dessa forma, elas me olharam chocadas. Pessoas que passaram uma década estudando o corpo humano, e mais tantos anos atendendo as pessoas e examinando vaginas, inclusive.

Ou seja, todo ano sou submetida a esse procedimento e ninguém nunca me ofereceu um espelho para eu ver a mim mesma! Parando para pensar agora, eu vejo o quanto isso não faz o menor sentido. Eu deveria ser incentivada a me conhecer a fundo assim desde a primeira consulta quando eu era ainda adolescente! Eu deveria ser tratada como uma pessoa capaz de tomar as próprias decisões por qualquer profissional de saúde! Eu deveria ter a oportunidade, não importa onde eu moro, ou minha faixa de renda, ou minha orientação sexual, ou ou ou, com respeito e dignidade!

Saí de lá com um sorrisão enorme. Com esperança, sabe? De que existe sim mais dessa gente que cuida de gente que sabe como tratar a gente bem. Depois de passar uma vida achando que era normal ser tratada como alguém que não tem discernimento e inteligência sobre o próprio corpo nos consultórios médicos da vida, encontrar profissionais de saúde mulheres com essa competência e esse espírito de transformar a forma como as mulheres são cuidadas, amparando-as e empoderando-as, o nível é outro.

Procure uma pra chamar de sua. Elas existem e estão por aí sim.

Recomendo a consulta no Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde.

E não, não é merchant, não recebi nada para falar delas 🙂

Você também pode usar como referência para buscar profissionais nesse diretório criado pelo grupo no Facebook de Percepção da Fertilidade e Contracepção Natural ou este outro diretório aqui, com ginecos voltada/os para métodos naturais/alternativos, como profissionais feministas e gay friendly.

 

Outro Post

Aqui temos 10 comentários. Adicionar.

  1. Juliana Wagner

    Melissa!!! Eu tive uma experiência semelhante hoje!! Cansada de médicos entortando o nariz e debochando da minha cara quando dizia minhas razões para não usar mais o anticoncepcional, resolvi pagar por uma consulta com uma médica muito bem conceituada aqui na minha cidade. Entendi então o porque dela ser tão elogiada! Ela me tratou com muita empatia e respeito pela minha decisão. Inclusive vai ajudar a tratar alguns problemas que tenho durante o período sem fazer uso de hormônios, apenas com um tratamento fitoterapico até o meu organismo aprender a funcionar sozinho novamente. Fiquei tão feliz em perceber que ainda existem profissionais assim!!!! 💜

    Para quem estiver aqui pertinho, fica aqui o contato dela!!
    Dra. Valeria Marques
    Cascavel – PR
    Ed. Day Saúde
    Rua Paraná, 4384, Centro
    Tel.: (45) 3226-5573

    • Melissa Setubal

      Ah que lindeza Juliana!!!! Fico tão feliz mesmo de você ter encontrado alguém assim aí do seu ladinho. Vamos espalhar sobre essas profissionais incríveis. Todo mundo precisa saber que não precisa continuar sendo tratada de qualquer forma ou só ser oferecida as formas convencionais de tratamento. Obrigada por compartilhar sua experiência.
      Saúde e Amor <3

  2. Ise Mahsati

    Uauuu! Agora eu respirei fundo esperança, rs… Que demais isso, que demais essa matéria Melissa. Tirando o chapéu! Tanto para essa médica como pra vc que compartilhou essa experiência linda conosco.
    Eu tive uma médica parecida, mas ela trocou a ginecologia pela estética médica.
    Aproveito e deixo meu pedido no post que se alguém conhecer alguma médica assim aqui na Baixada Santista, por favor compartilha o contato.

    • Melissa Setubal

      Ise, aos poucos vamos encontrando essas profissionais maravilhosas. Espero que muito em breve você encontre uma pra chamar de sua aí na sua região.
      Saúde e Amor <3

  3. Renata Meiga

    Oi Melissa querida,
    Mais uma vez quero te agradecer por essas sensiveis palavras. Acho que nem eu conseguiria descrever tão bem o trabalho que fazemos la no Coletivo!
    E ele so faz sentido porque existem mulheres buscando seu empoderamento, auto conhecimento e o respeito pela mulher forte que somos!!!! Foi um encontro potencializador!!!
    Muito obrigada!!!
    um bjo grande
    Renata

    • Melissa Setubal

      Renata, fico contente em saber que pude retratar o espírito do Coletivo e mostrar pra mais mulheres que existem mais opções!
      Obrigada a você pela acolhida e por me ajudar a me conhecer mais fundo, literalmente heheheheeh
      Saúde e Amor <3

  4. Keli de Oliveira

    Gente, to incrivelmente encantada “só” de ler essa matéria !!!
    além de cara torta, já ouvi palavras que me fizeram sair chorando do consultório; acho uma lástima não ter tido a coragem p denunciar uma profissional de saúde q humilha as clientes c comentários desnecessários, ao invés de explicar o que está acontecendo e como posso lidar c isso…
    mas os tempos são outros,e encontrar mulheres como vcs me faz abrir um sorrisão e saber q posso mais !!
    também me sinto mais esperançosa !! e “apta” para conhecer melhor sobre esse NOSSO mundo que nos é negado, reprimido!
    gratidão por compartilhar. amei desde já <3

    • Melissa Setubal

      Puxa Keli, sinto muito que tenha passado por uma situação horrível como essa. E que bom que esse texto te inspirou. Espero que você encontre no seu caminho profissionais de saúde que te respeitem e te tratem como merece: com atenção e amor.
      Saúde e Amor <3

  5. Clarine Ramos

    Nossa, que notícia linda <3 Eu tô nessa fase de busca de informações e médicos pois quero parar com o AC e os médicos que frequentei fizeram pouco caso e não quiseram me ouvir ou me explicar nada… um até disse que sou uma chata e que seria dificil me "tratar" já que não me acostumei com os efeitos colaterais e que estou exagerando quanto aos casos de trombose "tudo culpa da internet!" ele disse…
    Se alguém conhecer alguma profissional em Joinville/SC ou região que compartilhe dos ideais feministas e esteja disposta a ajudar e a instruir, por favor, comente 😀

    Melissa, seu trabalho é demais, conheci seu blog semana passada e estou amando os conteúdos!!!

    • Melissa Setubal

      Clarine, nos links ao final do artigo tem diretórios onde você pode procurar por essas profissionais por estado.
      Agora, se sua questão é parar de usar o AC, eu posso te ajudar.
      Aqui mais informações sobre meu novíssimo programa online para apoiar mulheres exatamente com esses desafios que você enfrenta
      http://www.melissasetubal.com.br/contracepcaoconsciente/
      Conte comigo para te apoiar nessa jornada!
      Saúde e Amor <3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba novidades sobre meus conteúdos, cursos e serviços