Na mídia

O que o Outubro Rosa não nos ensina

Share this:

O que TPM, alimentação e maquiagem tem a ver com câncer de mama.

Estamos em pleno Outubro Rosa, e só se fala da importância dos exames, dos tratamentos disponíveis, e muitas histórias lindas de superação de uma das doenças mais assustadoras que encaramos na atualidade. Mas eu não vim falar sobre a doença, nem sobre exame, nem sobre tratamento, nem sobre cura, nem sobre prevenção.

Vim falar sobre quantas de nós ainda não sabem o que há em comum entre TPM, alimentação, e maquiagem, e o aumento de risco de câncer de mama e do sistema reprodutor (e de outros tipos também). E sobre como o nosso corpo vai nos dando sinais ao longo do tempo que podem nos ajudar a evitar esta doença e tantas outras.

Acho fundamental aumentar a consciência das pessoas sobre algo que pode lhes tirar o chão e a vida, e que haja campanhas como essas. Porém, fico muito irritada como que tanto esforço de Marketing e tanto dinheiro é investido em algo que não cuida da causa de tanto sofrimento. E se a gente mudasse um pouco o paradigma vigente, que coloca a atenção quase que exclusivamente na doença, e investisse pesado também na manutenção do estado de saúde?

E se campanhas como essa nos incentivasse a investir nas ferramentas que realmente agem no equilíbrio do organismo, incentivando nosso sistema reprodutor, endócrino, e imunológico a funcionarem como foram projetados para funcionar, evitando que muita gente passasse pela reviravolta que passam?

E se campanhas como essa nos incentivasse tomar o poder em nossas mãos de fazer as escolhas que podem nos levar uma vida sem medo de doenças, mas sim que usa os sintomas que sentimos no dia-a-dia como pistas que nosso corpo nos dá o tempo todo, e aprendêssemos como podemos agir diante deles naquele momento, e evitar que vire algo maior e muito mais difícil de ser revertido?

E se o Outubro Rosa fosse uma campanha muito além do câncer de mama, e que incentivasse as mulheres a investirem em cuidar da própria saúde de forma integrativa?

As doenças do sistema reprodutor normalmente tem relação direta com desequílibrios que perduram por muito tempo (anos a décadas) nas nossas glândulas, na capacidade do organismo de se regenerar e se livrar de células defeituosas ou agentes externos (desde microorganismos a toxinas). Não seria mais eficaz e menos trabalhoso se colocássemos a maior parte de nossa atenção e nossos esforços em ajudar o organismo nesse equilíbrio dinâmico?

Temos tanto investimento e gente envolvida em encontrar a cura (e estamos apanhando feio até agora, pois se estudamos estatisticamente os resultados dos tratamentos convencionais, dá tristeza), e tão pouco investimento e gente envolvida a ajudar as mulheres a continuarem saudáveis.

Até existem alguns estudos, por exemplo, voltados a encontrar os efeitos anti-câncer de certos compostos fitonutrientes, mas poucos sobre os efeitos da sinergia de uma alimentação baseada em comida de verdade. Pois quando isolamos compostos de um alimento, eles não possuem o mesmo efeito em uma célula do que quando combinados com diversos outros nutrientes e fatores de estilo de vida. Além do fato de que a bioindividualidade de cada ser reage de forma diferente ao mesmo estímulo.

Outra coisa que não nos contam nessa história é que muitos produtos, aparentemente desconectados com essa questão, estão mais que provados serem agentes cancerígenos ou que causam impacto direto no sistema endócrino, como os produtos de limpeza, higiene e beleza/ maquiagens. O efeito tóxico no organismo feminino é tremendo, pois nos expomos a mais de 13 produtos como esses diariamente, em média. Junte a isso ao efeito tóxico da poluição, da alimentação industrializada, do estresse em excesso, e perceba quanta coisa que precisa ser combinada para se causar uma doença tão grave como essa.

Não nos ensinam também que quando cuidamos das causas dos sintomas de TPM, estamos agindo na prevenção de doenças mais graves do sistema reprodutor. A TPM é basicamente nosso corpo nos dizendo que nossos hormônios não estão em estado de equilíbrio.

Normalmente, nos ensinam a usar um monte de medicamentos para abafar esses sintomas (incluindo o anticoncepcional). Mas o que não nos ensinam é que não cuidar das causas desses desequilíbrios e usar medicamentos pode piorar ou causar doenças mais graves, como até câncer.

Não nos ensinam que podemos usar a alimentação para nos ajudar nesses sintomas, não nos ensinam a usar terapias holísticas para ajudar o organismo e a mente a se harmonizarem, não nos ensinam a nos conectarmos com nossa autoestima para acalmar nossas emoções (que bem sabemos tem um impacto enorme nessa questão das doenças). E a usar tudo isso não apenas quando nos sentimos doentes, e sim como ferramentas de manutenção do estado de saúde.

Quero, nesse Outubro Rosa e em todos os meses de cada ano, contribuir para que mais mulheres sejam apoiadas a aprender a cuidar da própria saúde antes da instalação da doença, a entender como seu corpo e sua mente funcionam para saber como agir diante de um sintoma, e a terem em suas mãos o poder de agir sobre eles com o suporte de outras pessoas comprometidas a ajudá-las por inteiro.

outubrorosa

Pulicado em: Não Aguento Quando
Imagens: wearehopeworks.org/2.bp.blogspot.com

Outro Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba novidades sobre meus conteúdos, cursos e serviços