Na mídia

Pílula Anticoncepcional é assunto pra homem também!

Share this:

Como chamar os caras para essa conversa importante que influencia na sua escolha de contracepcão

Menstruação, ovulação, contracepção, tudo assunto de mulher, certo? Errado. É assunto para todos os seres humanos. Até porque todo mundo é fruto dessa historinha toda, né? Então vamos lá conversar com os homens da nossa vida sobre a pílula anticoncepcional (e os outros métodos hormonais). Porém por onde começar? Como conversar?

Por dados e fatos: eles são férteis 24 horas por dia, 7 dias por semana. Ponto. Considerando que só se faz bebê com duas pessoas, a fertilidade é uma responsabilidade de ambas, correto?

Mas então por que somos nós, mulheres, as quem tem colocar hormônios inundando o nosso organismo todos os dias? Se lembrarmos o meu artigo anterior (leia ele aqui), quando eu falei que mulheres são férteis apenas 5 dias por ciclo, por que somos nós quem mais nos preocupamos com contracepção e usamos remédios que impactam muito a nossa saúde e bem-estar e causam riscos?

Infelizmente, não é comum ser ensinado aos meninos a terem responsabilidade sobre a própria fertilidade, uma vez que a sociedade culturalmente reforça com displicência e condecedência as atitudes inconsequentes e comportamentos impulsivos deles desde crianças.

Um dos efeitos disso é a resistência muito grande em usar a camisinha, o método principal de contracepção masculina. Mesmo ela sendo o método mais simples, o que previne doenças – DSTs, o mais barato, menos invasivo, e de adaptação rápida, principalmente por parte dos homens (e de muitas mulheres também terem).

Os argumentos mais usados são os “estamos em um relacionamento comprometido e fechado então não há riscos”, “mas eu fiz exame e está tudo certinho”, “eu confio em você e você em mim” (e aquele questionamento em tom acusatório “mas você não confia em mim” inclusive vindo de pessoas que acabou de conhecer), “mas é tão mais gostoso sem” (e aquele de chupar bala com papel) e por aí vai.

Vamos falar a verdade: homens são treinados para amar o próprio pinto e nada mais. Eles podem te amar mais que a eles mesmos. Mas o pênis ganha disparado de você. Quase como se fosse uma entidade de poderes mágicos a parte. Na maioria das vezes ele vai sim pensar com a cabeça de baixo, e a gente vai acatar porque “homem é assim mesmo”.

Acha broxante ter que “parar o rala e rola” pra pegar e colocar a camisinha, mas tirar as roupas, desenganchar aquele sutiã de 4 fechos, tirar aquela nossa calça jeans skinny que mais parece uma embalagem à vácuo não broxa? Parece mais difícil enfiar o pênis na vagina com camisinha, mas não considera que mal tocou na mulher para deixá-la devidamente lubrificada e com tesão, e iria enfiar o pau meia bomba de qualquer forma pra gozar em 2 minutos e virar pro lado e dormir? Nem sempre consegue lembrar de usar, mas do horário sagrado do futebol (ou insira aqui o esporte ou programa que ele mais gosta de fazer) lembra religiosamente? Simplesmente faz biquinho, birrinha, faz cara de chatiadinho e fala que não gosta, mas você tem que gostar de ser simplesmente penetrada sem ele nem perguntar pra você o que você gostaria que ele fizesse para você sentir prazer e gozar?

Se ele nunca traz a dele, nunca toma a iniciativa de comprar ou de pegar na hora de usar, se sempre é um debate pedir pra ele usar, se ele se recusa a usar, recomendo você reconsiderar se vai querer mesmo transar com essa pessoa (ou até ter um relacionamento com ela).

Eu sei que pode sim ser desconfortável quebrar certos paradigmas. Porém, assim como criamos hábito de tomar banho, escovar os dentes, colocar o cinto de segurança no carro, e outros atos de autocuidado que não são nada divertidos, podemos retreinar esses hábitos também!

Porque o impacto que o anticoncepcional hormonal tem no corpo feminino é tremendo e cumulativo. Ela causa aumento do apetite e de peso, depressão e ansiedade, enxaqueca, insônia, infestação crônica de Cândida, problemas de libido, e ainda por cima aumenta demais o risco de AVC, câncer e trombose.

E você já parou pra pensar no impacto do anticoncepcional nas relações com o(s) parceiro(s)? Tudo bem sua vontade de fazer sexo estar próxima de zero ou só fazer participação especial em alguns episódios por temporada? Tudo bem ao invés de prazer você sentir dor na hora da relação?

Pois é, tem muita mulher perdendo uma parte muito importante da vida por conta dos efeitos da pílula, muito relacionamento indo por água abaixo porque a mulher simplesmente não tem interesse nenhum em fazer sexo, e inclusive não conseguindo resgatar a libido e a vontade de fazer sexo nem depois que para de usar o anticoncepcional.

Esses são apenas alguns pontos que podemos usar em uma conversa com o boy sobre porque a pílula talvez não seja a melhor forma de vocês evitarem a gravidez e compartilharem a responsabilidade. Uma mulher usando anticoncepcional corre muito mais riscos de efeitos colaterais, doenças, sendo que existem outras formas de se gerenciar a fertilidade, como falei no texto anterior sobre o assunto.

Numa coisa sei que a grande maioria concorda: na hora do sexo, a relação é de ganha-ganha. Todo mundo merece viver o prazer, e precisa assumir seus riscos. Meu convite é para as mulheres e homens refletirem sobre o equilíbrio dessa questão, e saber que é possível fazer escolhas mais conscientes sobre os métodos de contracepção!

Se quiser saber como posso te ajudar com o desafio de parar de usar o anticoncepcional, saiba mais sobre o meu programa Contracepção Consciente.

Publicado em: Superela/Catraca Livre 

Outro Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba novidades sobre meus conteúdos, cursos e serviços