[na mídia] Por que fazer dieta precisa sair de moda

Share this:

As dietas restritivas pecam por sua falta de eficácia e riscos para a saúde

Toda vez que ouço ou leio a palavra dieta, me dá um frio na espinha. Apesar do seu significado inócuo, a princípio, a cultura da restrição alimentar em nome da aparência perfeita se apropriou dela e criou sentidos destrutivos, o me dá nos nervos e muitas vezes me faz até chorar.

Fico triste porque testemunho todo dia pela TV, revistas e mídias em geral, e com as mulheres ao meu redor, uma verdadeira lavagem cerebral sobre essa dinâmica perversa criada para fazer a gente pensar que SEMPRE estamos inadequadas e erradas na forma que nos alimentamos e a forma que nosso corpo tem.

Se não nos parecemos com aquela imagem da modelo e da atriz famosa, temos que fazer de tudo para ficar igual, e quando não ficamos, é porque tem alguma coisa muito errada com a gente. E é isso que mais me irrita, essa exploração das nossas inseguranças que nos faz buscar suprir necessidades que não existem de verdade, e consequentemente, consumir muito mais coisas do que precisamos, muitas vezes termos comportamentos e utilizarmos produtos que comprovadamente fazem muito mal para nossa saúde.

Como uma pessoa que entende que um corpo bonito e saudável vai muito além do aspecto físico e como uma profissional de saúde holística, minha tristeza se aprofunda quando vejo a ciência e outros profissionais de saúde reforçando esses comportamentos doentios.

Uma centelha de esperança se acende no meu coração quando vejo essa mesma ciência e alguns profissionais nos trazendo dados que nos libertam dessa ditadura das dietas restritivas.

 

Lindo lambe-lambe da Negahamburger

 

De acordo com a especialista em nutrigenoma, Sophie Deram, 90% a 95% das pessoas que fazem dieta restritiva recuperam todo o peso que perderam, e 30% dessas pessoas vão engordar ainda mais.

A restrição de calorias e de um determinado nutriente essencial (como gordura ou carboidrato) liga os genes e os mecanismos que fazem com que o apetite da pessoa aumente até um ano depois de ela ter terminado a dieta.

Fora o fato de que, dessa forma, também estamos potencializando o aparecimento de doenças ao longo do tempo, consequentes da falta de nutrientes e do efeito sanfona. Fazer dietas restritivas aumenta os níveis de cortisol no sangue, o que leva a disfunções hormonais e um estado inflamatório geral no organismo, e isso é prato cheio para as doenças mais graves, como diabetes, câncer, doenças cardíacas e autoimunes.

Não vamos nos esquecer ainda que não são apenas consequências físicas.  O caso mais grave sobre fazer dietas é a pré-disposição 18 vezes maior de desenvolver transtornos alimentares e de imagem, como anorexia, bulimia, ortorexia, vigorexia. Temos que considerar também a devastação da autoestima, o quanto isso impacta a qualidade de vida de uma pessos, já que, maioria das vezes, uma pessoa inconscientemente decide fazer dieta por causa de uma autoestima baixa, uma necessidade de aceitação do outro, do medo do julgamento ou de ficar sozinha, do “só serei feliz quando todas as pecinhas da minha vida estiverem no lugar”.

Viu que fazer dieta também causa um efeito gangorra na autoestima? Pois a gente vincula felicidade a um número na balança, na fita métrica e na etiqueta da roupa. E essa vinculação é uma receita fadada ao fracasso, pois por mais que os números diminuam, a autoestima, mesmo que aumente um pouco, a princípio, é constantemente minada pelo fantasma do “não posso jamais perder o controle sobre o que eu como”, e ela vai por água abaixo instantaneamente na primeira guloseima.

Por isso sou advogada da alimentação saudável: a que contém todos os grupos de nutrientes e todos os tipos de comida, e que considera nutrição algo além do corpo, como também da mente, das emoções, e da alma.

Na próxima vez que você pensar em fazer dieta, saiba que existe uma vida maravilhosa bem longe dessa prisão. Uma vida onde a comida é fonte de prazer e de saúde, e sua aliada para você estar contente com seu corpo, e levar uma vida com liberdade e com amor próprio.

Para saber mais: Dez mitos das dietas para perder peso

Publicado em: Não Aguento Quando

Outro Post

Receba novidades sobre meus conteúdos, cursos e serviços