ciclo menstrual

Arquivo

[na mídia] Como parar com o anticoncepcional sem engravidar

Cinco coisas que você deveria saber sobre a vida sem pílula.

A revista Vida Simples fez uma entrevista comigo na semana passada sobre como não depender do anticoncepcional. Nela, eu compartilhei a minha jornada pessoal com meu caso de amor e minha desilusão com o uso da pílula, e como funciona o meu trabalho apoiando mulheres a fazer uma escolha consciente sobre seu uso. Confira aqui.

Os efeitos colaterais dos contraceptivos incomodam a maioria das mulheres. Mal necessário?

por Letícia Gerola

O anticoncepcional faz parte da rotina da maioria das mulheres brasileiras. Aliado à camisinha, é uma das principais ferramentas para evitar a gravidez. Os efeitos colaterais dessa dose hormonal intensa, no entanto, são motivo de preocupação e incômodo pra boa parte desse público. “TPM intensa, dores de cabeça, acne, muita cólica… Os efeitos colaterais variam pra cada organismo, mas uma coisa não muda: é uma dose forte de hormônios que mexe com o corpo da mulher e impossibilita que ela conheça e tenha seu ciclo menstrual”, explica Melissa Setubal, especialista em saúde integrativa da mulher.

Formada em comunicação social, a jornalista e publicitária sofria com enxaquecas e acne excessiva. Em busca de uma solução, ela conheceu métodos de contracepção alternativa e descobriu a importância de conhecer o ciclo menstrual. Foi assim que nasceu o Vida Sem Pílula, minicurso gratuito que ela oferece. Confira as respostas da especialista para as cinco perguntas mais polêmicas sobre o assunto:


[na mídia] Pílula do dia seguinte: dúvidas e respostas

O que você precisa saber sobre a PDS para fazer uma escolha consciente

Em entrevista para o portal Superela, eu esclareci alguns pontos sobre a forma e o impacto do uso da pílula do dia seguinte para evitar a gravidez e porque ela não é a uma escolha para ser um método contraceptivo de uso frequente.

Por ter uma taxa super elevada de hormônios artificiais, ela oferece um impacto negativo tremendo no nosso sistema endócrino e reprodutivo, similar à da pílula anticoncepcional. Quer saber mais sobre esses impactos, leia aqui.

Ela pode ser sim uma ferramenta bastante útil, e conhecer sobre seu funcionamento é tão importante para que ela possa ser eficaz quanto saber dos efeitos colaterais diversos que ela pode provocar, às vezes por meses após seu uso. Muitas mulheres relatam ciclos irregulares, menstruação com muitos coágulos, cólicas, náusea e vômito, dores de cabeça, diarreia, entre outros sintomas.

 

É bem comum ver mulheres usando a pílula do dia seguinte sem nem ao menos saber se estavam férteis ou não naquele período, ou seja, se existia mesmo o risco de gravidez naquela relação.

 

Outra questão importante é que muitas não tem o hábito de associar métodos de prevenção, fator muito importante para aumentar as chances de eficácia da contracepção, uma vez que TODOS OS MÉTODOS TEM TAXA DE FALHA, inclusive a PDS.

Um método de barreira, como as camisinhas masculina e feminina, por exemplo, é recomendo ser sempre usada, até para pessoas que fizeram esterilização (como laqueadura de trompas e vasectomia), não apenas porque existem casos em que alguma circunstância extraordinária ou falha acontecem, como principalmente porque as camisinhas são os métodos mais disponíveis para evitar também doenças sexualmente transmissíveis.

Aprender a usar as camisinhas de forma correta e eficaz, como a sua conservação e colocação, como também saber da importância fundamental de se estar devidamente lubrificada (bora aprender como nosso corpo funciona bem como ensinar para quem fazemos sexo com qual é a hora certa e como a penetração pode acontecer da forma mais segura e prazeroza!), é algo que pode nos ajudar bastante a não ter que precisar usar a PDS. Mas esse é um papo para outro artigo :)

Se você usa pílula ou outros métodos hormonais anticoncepcionais (anel, injeção, implante, adesivo, DIU de progesterona, etc) não é recomendado o uso da PDS, uma vez que o organismo já está recebendo uma carga de hormônios artificiais alta e de forma constante.

Por isso que estou sempre falando sobre ser fundamental ter consciência a respeito da própria fertilidade e ciclo menstrual. Não apenas para saber como lidar com esses sintomas do uso de hormônios artificiais para evitar a gravidez, mas principalmente para saber lidar de forma natural com a própria fertilidade sem suprimi-la ou viver com medo dela.

Vejo muitas mulheres que pararam de usar pílula anticoncepcional, e até que conhecem e usam métodos de percepção da fertilidade que acabam fazendo uso a pílula do dia seguinte porque ainda estão presas ao paradigma de que um medicamento é a garantia da paz de espírito. Quando, na verdade, se faz necessária também uma reprogramação dessa forma de pensar, que foi programada desde muito cedo e reforçada ao longo da vida.

 

É muito menos estressante aprender a confiar no próprio corpo e nos sinais que ele nos oferece, e aprender métodos que impactam menos ou nada o funcionamento do nosso organismo, e não precisar usar a PDS simplesmente por medo, e sim por uma escolha consciente.  

 

Mas se já foi o caso de ter usado, ou de já querer ter as informações para caso precise desse medicamento, acesse aqui a entrevista e saiba mais.

Publicado em: Superela

O amor próprio e entre as mulheres no Dia Internacional da Mulher

No dia 08 de março (e em todos os dias), é momento de refletir sobre relações muito importantes: a consigo mesma e com as demais mulheres.

Eu não queria fazer um texto qualquer. Eu queria fazer uma declaração de amor. O amor que tenho pelo fato de ser mulher. O amor que tenho por cada mulher. Então decidi fazer uma transmissão ao vivo de vídeo (que você pode assistir logo abaixo) para declarar meu amor falando de como cultivar amor próprio.

Para mim, amor próprio é a base de tudo. Quando estamos cuidando de nós mesmas diariamente, somos mais capazes de de muito mais na nossa vida. E somos capazes de estar e fazer muito mais umas pelas outras.

E isso, no meu ponto de vista, parte da relação que temos com cada parte do que somos:

  • Relação com o corpo: peso e alimentação + ciclo menstrual

  • Relação com a mente: autoimagem + emoções

  • Relação com o espírito: medo + amor

Com essas nossas questões recebendo atenção, podemos ampliar nossa esfera de amor. Para mim o Feminismo é um grande movimento de amor próprio. Descobrindo que eu já tenho valor como o ser humano que eu sou, que eu tenho valor porque sou mulher, que eu tenho valor porque eu sinto, eu penso, eu faço. Primeiro passo é fazer por si mesma. E junto com isso fazermos umas pelas outras.

Assim, num dia como hoje vale refletir como você tem celebrado a si mesma e as suas vitórias na vida, antes de qualquer luta pelos direitos. Refletir como tem se permitido e se libertado de suas próprias amarras, ao ser indiferente. Refletir de forma tem ignorado a si mesma e aos seus sonhos.

Por isso, quero te convidar a fazer algumas coisas neste dia:

Que uma coisa você pode fazer essa semana para celebrar o fato de ser mulher?

Que uma ação você pode tomar para exercer um direito que não tem usado?

Qual o primeiro passo que você pode dar para parar de negligenciar aquele desejo de vida reprimido?

Talvez a alimentação não esteja assim tão bacana, ou mesmo que esteja num bom caminho você percebe que pode colher ainda mais benefícios e não sabe como.

Talvez seu ciclo menstrual está meio bagunçadinho, sentindo uma TPM aqui, uma cólica ali, um inchaço acolá, ou mesmo que os sintomas não provoquem dor ou desconforto, você sabe que dá pra melhorar e ter um fluxo sem coágulos ou sem grandes rompantes de humor.

Talvez você esteja meio de mal com o espelho e a autoestima pra baixo e isso está atrapalhando seus relacionamentos, sua performance no trabalho, ou mesmo você está de bem consigo mesma e por isso sabe que é hora de levar a autoestima para o próximo nível de autoconfiança.

 

 

Não importa, na verdade, onde você se encontra nas situações acima. Eu quero muito saber de você, dos seus desafios e dos seus desejos. Quero saber no que posso de apoiar.

Por que pra mim, isso é o Dia da Mulher, uma dia de estarmos uma pela outra, e saiba que estou aqui por você, o quanto e como precisar. Eu quero te apoiar porque pra mim a mulher é a grande força transformadora neste mundo.

Uma mulher que está bem alimentada, de bem com seu corpo e seus ciclos, satisfeita com sua imagem no espelho e confiante nas suas próprias capacidades, uma mulher que sente sem medo e que se expressa plenamente, é a força mais poderosa da natureza.

Imagina um mundo onde todas as mulheres estão assim! Imagina um mundo onde você é assim. Imagina o quanto a sua vida e as das pessoas a sua volta iriam se transformar.

Eu não tenho dúvidas de que isso é possível. Porque você já foi capaz de se transformar tantas vezes, e eu quero que você pare nesse minuto para refletir sobre o que você já foi capaz de fazer por você mesma e o que isso provocou de benefícios nas pessoas que ama, com quem mora, com quem trabalha, com quem interage, com quem você cuida.

Imagine quanto você será capaz de criar ao se alimentar, ter um ciclo menstrual e uma relação com sua autoimagem e com suas emoções mais consciente. Quanto amor você será capaz de distribuir depois disso.

 

Desejo um Dia da Mulher com respeito, reconhecimento, saúde e muito amor!

 

 


Em terra de ghosting, quem aparece é rei

Como lidar com o desaparecimento repentino das pessoas e entender porque nós fazemos isso uns com os outros cada vez mais

Tenho uma amiga que tem, por costume, me perguntar sempre sobre como anda cada uma das pessoas, coisas ou situações sobre as quais falo com ela. Pode ser sobre um projeto que citei que me parece promissor, uma pessoa que me parece interessante romanticamente, um situação planejada para o futuro, e por aí vai. Se eu falei apenas uma vez sobre o assunto, ela, mesmo muitos dias depois, vai me perguntar como vai aquilo com uma empolgação na voz que me faz sentir a pessoa mais importante e com a vida mais interessante do mundo.

Ultimamente, várias vezes me vi desconfortável ao conversar com ela. Me vi pedindo para ela não me perguntar mais sobre a pessoa que eu estava interessada, me percebi incomodada com ela comentando sobre um pequeno desenrolar de um projeto meu, me encontrei com receio até de compartilhar certas coisas banais porque sei que ela vai me perguntar sobre aquilo depois. Eu quem conto basicamente tudo da minha vida pra ela.


[vídeo] Receita de Panqueca Americana e Nutella Caseira

Assista eu fazendo bagunça na cozinha ao vivo preparando essas delícias perfeitas pro café da manhã

Em parceria com a eduK e o Catraca Livre, transmitimos ao vivo duas receitas que fazem parte do meu curso Cozinha Prática e Saudável para o dia a dia. Se você perdeu, é só assistir aqui para aproveitar essas delícias, junto com todas as dicas que passei sobre saúde integrativa da mulher.

 

 


Usando a alimentação para ter disposição para a atividade física

Comer bem é movimentar-se mais!

O Sesc me entrevistou sobre como alimentação e atividade física caminham juntos na busca de mais saúde. Mas vocês que já me conhecem sabem que eu não iria falar aquela fórmula desgastada de “caloria que entra caloria que sai”, que todo mundo já saber que não funciona, né? Veja aqui as minhas dicas.

“Praticar atividade física todos os dias tem a ver com diversos fatores como tempo livre, acesso a equipamentos gratuitos de lazer e esporte entre outras variáveis. Mas, mesmo com tudo isso a nosso favor, sem a saúde em dia não é possível sair do lugar – literalmente. Por isso é que uma alimentação saudável e balanceada é tão importante para quem quer colocar movimento em sua rotina. Poucos ajustes na dieta diária já fazem com que o corpo tenha mais energia para se exercitar com prazer e leveza.

Pensando nisso, o Dia do Desafio bateu um papo com a especialista em saúde Melissa Setubal sobre a relação entre a saúde dos alimentos que consumimos com a adoção de um cotidiano fisicamente ativo.

Alimentação saudável e disposição física estão relacionadas? De que forma a alimentação interfere na prática de esporte ou exercícios?

Totalmente. Não apenas pelo fato de que são os alimentos que fornecem a matéria-prima para compor e dar energia a células, músculos e ossos, como também em uma maior ou menor disposição para a atividade em si, ganho maior ou menor de tônus muscular, perda ou não de peso, e por aí vai. É fundamental que a pessoa tenha uma alimentação adequada para o nível de atividade física que faz no dia a dia, bem como ajuste as combinações nutricionais que suportem essa atividade e seus objetivos se observando e com a ajuda de especialistas.

O seu projeto Dieta do Coma Mais é muito interessante. Comer de uma forma mais saudável estimula o corpo a querer se movimentar mais?

Com certeza. Uma das maiores reclamações que as clientes chegam até mim é que não conseguem fazer atividade física porque estão sempre cansadas e sem disposição, tanto para acordar mais cedo para se exercitar quanto para fazer depois do dia de trabalho. Com poucos ajustes na alimentação, elas começam a reencontrar essa energia e começam a usá-la para investir em uma atividade física, que acaba por deixá-las com ainda mais energia. Não adianta contar com a força de vontade nesse sentido. Ela pode fazer você começar a atividade física, mas logo alguma circunstância fica no meio do caminho e o exercício físico é o primeiro a ser largado de lado. Entender as causas-base dessa falta de energia, do excesso de peso, da falta de vontade de cuidar de si mesma é fundamental para encontrar a motivação interna para manter uma rotina de movimentação do corpo. Por isso que chamo meu programa de Dieta do Coma Mais. É investir em acrescentar mais dos alimentos que vão incentivar nosso organismo a ter mais disposição e a funcionar melhor.

Quais são os alimentos ideais para consumir antes de uma atividade física?”

Confira o restante da entrevista no site do Sesc.

imagem: hngn.com

Minha visita à uma gineco feminista

GENTE!!! ENCONTREI UM OÁSIS no meio do deserto de profissionais de saúde que cuidam de mulheres.

Depois de 3 anos sem pisar no consultório de uma ginecologista, uma amiga e cliente me recomendou um local em que ela buscou atendimento, e logo me falou: “acho que lá eles fazem um trabalho muito colado com o teu”.

Uma casa normal, sem cara de consultório, com coletores e absorventes ecológicos menstruais e diafragmas no armário logo na entrada, folhetos e cartões de profissionais holísticos, mulheres de todos os tipos transitando.

Fui atendida pela sorridente Renata (sim, sem Dra na frente) logo no portão. Ao sentar num sofá confortável na frente dela, em outro sofá, como duas amigas tomando chá da tarde, ela começa a explicar o conceito da clínica, que na verdade, é um Coletivo Feminista de Sexualidade e Saúde, com diversos serviços, incluindo o de médica da mulher.


Como parar de afogar as mágoas na comida?

No Dia Internacional da Mulher, fiz um webinar com junto com o portal Superela, e junto com outras especialistas em autoestima oferecemos dicas incríveis! Nesse vídeo, mostro um pedacinho do que falei sobre um problema que afeta muitas mulheres: usar a comida como escape emocional! Veja como parar de afogar as mágoas na comida!


Assista o webinar na íntegra aqui.

 


Molho cremoso multiuso vegano

Delicioso em massas, “macarrão” de abobrinha ou palmito, saladas e sanduíches, e ainda faz maravilhas pela pele, cabelos, fertilidade e TPM.

Veja aqui os benefícios do abacate para o corpo feminino aqui, aqui, e aqui.


Pare agora mesmo de pedir desculpas

Porque essa prática inconsciente de pedir desculpas por tudo pode estar limitando a sua vida

Quero te convidar para fazer uma observação: quantas vezes por dia você usa a palavra “desculpas”? Posso te dizer que, em você sendo mulher, provavelmente muito mais vezes do que percebe, e principalmente, do que seria necessário.

Me peguei dia desses, jantando com uma amiga, expressando algumas questões e sentimentos que andava vivendo, e depois de uns bons 10 minutos falando direto, pedi desculpas porque achava que não estava fazendo sentido lógico o que eu estava expressando.

Quantas vezes minhas clientes e pessoas com quem interajo me pedem desculpas por chorarem na minha frente, por compartilharem suas histórias tristes ou indignadas, por “gastarem” meu tempo ouvindo-as, por não terem feito algo “de acordo com as expectativas” ou alcançado determinada meta que a gente mesma inventou.

Os outros esbarram na gente, e nós quem pedimos desculpas. Colocamos nossa opinião em uma reunião e depois pedimos desculpas. Reagimos a uma circunstância que nos despertam um sentimento forte e pedimos desculpas. Fazemos pedidos de coisas que precisamos ou queremos para depois pedir desculpas.

Percebe o padrão aí? Estamos constantemente pedindo desculpas por existir e por ser mulher, e por ser humana! É claro que existem situações em que realmente pisamos na bola e usar a palavra “desculpa” com a intenção de redimir nosso comportamento inadequado.


Page 1 of 24123...Último

Receba conteúdos exclusivos